Sindicato dos Médicos denuncia Secretaria da Saúde do Ceará por atraso de pagamento aos profissionais da linha de frente há 3 meses

Início » Sindicato dos Médicos denuncia Secretaria da Saúde do Ceará por atraso de pagamento aos profissionais da linha de frente há 3 meses

Sindicato dos Médicos denuncia Secretaria da Saúde do Ceará por atraso de pagamento aos profissionais da linha de frente há 3 meses

 In capuchino-news


O Sindicato dos Médicos do Ceará denuncia a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa/CE) pelo atraso no pagamento do adicional Covid aos médicos que atuam no Hospital Leonardo da Vinci, em Fortaleza. Segundo a denúncia, os profissionais estão desde abril sem receber o benefício. Ainda de acordo com o Departamento Jurídico do Sindicato, os médicos que atuam nas UPAs e Hospital de Messejana através de cooperativas, como a Cooperativa de Trabalho dos Médicos Emergencistas do Ceará LTDA (Cemerge) e o Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) também estão com salários atrasados desde o mesmo período. 

Cobrança

O Sindicato já havia notificado às cooperativas, mas ambas alegam que o pagamento não foi efetuado porque a Secretária de Saúde não repassou as verbas até então. Mesmo cobrando retorno há vários meses, o Sindicato ainda não obteve retorno da SESA.

No dia 12 de julho, o Sindicato dos Médicos do Ceará notificou a Cooperativa de Trabalho dos Médicos Emergencistas do Ceará LTDA (Cemerge) pela ausência de pagamento dos médicos que atuam na UTI Covid do Hospital de Messejana, em Fortaleza, referente ao período de abril a maio deste ano.

Na última quarta-feira, 14, a Cemerge informou ao Sindicato que a Secretaria da Saúde teria o prazo de 30 dias para efetuar o pagamento contando desde o dia 18 de junho, data em que a nota fiscal foi encaminhada. No caso, a SESA teria até o dia 17 de julho para regularizar a situação, mas até o dia 19 de julho o Sindicato não recebeu a confirmação do pagamento.

O Departamento Jurídico do Sindicato destaca que a informação é de que não houve disposição por parte da Secretaria em resolver a questão de forma definitiva mesmo após diversas tentativas. Além disso, a Cemerge ressalta que esclareceu aos médicos que o pagamento não foi realizado, até o momento, devido à ausência de repasse dos valores à cooperativa.

Pagamento adicional Covid-19

Em virtude da pandemia do coronavírus, na qual os profissionais da saúde são os mais expostos ao contágio, o valor adicional é um estímulo e reconhecimento pelo trabalho desempenhado na linha de frente. 

“Seguimos fiscalizando e sempre iremos tomar todas as providências para regularização dos pagamentos, pois é um grande absurdo o descaso da Secretaria de Saúde para com o atraso dos repasses para pagar os salários e o adicional da Covid-19, uma vez que a categoria médica é essencial. Por isso, trabalhamos incansavelmente em prol do respeito com a nossa classe e frisamos aos demais colegas de profissão, que estão com alguma dificuldade de receber seus salários e pagamentos, que avisem imediatamente ao Sindicato dos Médicos. É um trabalho árduo para que os profissionais não fiquem desassistidos durante essa pandemia e para que o Secretário da Saúde nos enxergue como prioridade”, afirma o presidente do Sindicato, Dr. Leonardo Alcântara.

“Nada mais justo que os profissionais, que trabalham incansavelmente, arriscando as próprias vidas diariamente, recebam seus salários e gratificações em dia”, finaliza Leonardo.

Sobre o Sindicato dos Médicos do Ceará

Fundado em 1941, o Sindicato dos Médicos do Ceará é uma associação de profissionais que trabalha pela valorização da atividade médica e, consequentemente, pela melhoria contínua da saúde no Estado. Em parceria com as demais entidades representativas da categoria, o Sindicato está pautado por atribuições, são elas: reivindicar melhorias nas condições de saúde da população e buscar o fortalecimento do sistema público de saúde; representar os interesses gerais da categoria ou interesses individuais de filiados; celebrar acordos e convenções coletivas de trabalho e suscitar dissídios coletivos; colaborar como órgão técnico consultivo no estudo e solução de problemas relacionados com a categoria; e zelar pelo cumprimento da legislação, acordos e convenções coletivas de trabalho, sentenças normativas e demais institutos que assegurem direitos à categoria.

Recommended Posts