“I Seminário Terrartesã – As mãos que tecem”, do Grupo Mulheres do Brasil, em parceria com o Governo do Estado do Ceará, reúne mais de 2 mil espectadores

Início » “I Seminário Terrartesã – As mãos que tecem”, do Grupo Mulheres do Brasil, em parceria com o Governo do Estado do Ceará, reúne mais de 2 mil espectadores

“I Seminário Terrartesã – As mãos que tecem”, do Grupo Mulheres do Brasil, em parceria com o Governo do Estado do Ceará, reúne mais de 2 mil espectadores

 In capuchino-news

O Grupo Mulheres do Brasil promoveu, no período de 2 a 6 de agosto, o “I Seminário Terrartesã – As mãos que tecem o Ceará”, reunindo mais de 2 mil espectadores.   Apresentado pelo Governo do Estado do Ceará, através da Casa Civil, o evento aconteceu virtualmente, com o propósito de promover o diálogo entre artesãos, pesquisadores, empreendedores e o poder público.

Para Annette Reeves, Líder do Núcleo Fortaleza do Grupo Mulheres do Brasil, o evento teve um grande êxito. “Tivemos uma repercussão bastante positiva, com um bom número de audiência. Logo, esperamos que o Seminário tenha contribuído para  criar um ambiente de amplo diálogo com vistas a fortalecer o artesanato no estado como fonte de renda e de desenvolvimento social”, destacou.

Com foco na valorização e promoção do artesanato tradicional cearense, a programação foi voltada para quatro eixos, sendo eles: capacitação do artesão em novas tecnologias; oportunidades de negócios no artesanato; inovação e tradição: artesanato, design e moda; e políticas públicas para o fortalecimento do setor. Para conferir o conteúdo salvo, acesse: YouTube Mulheres do Brasil.

Palestrantes

Com duração de cinco dias, o lançamento do I Seminário Terrartesã contou com a presença de autoridades como Luiza Helena Trajano – Presidente do Grupo Mulheres do Brasil;  a Primeira-dama do Ceará,  Onélia Santana; Socorro França, Secretária de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos humanos do Governo do Estado do Ceará; Patrícia Liebman – Gerente da CEART; e Angelice Custódio – Presidente da Federação das Cooperativas e Associações De Artesãos Do Ceará – FECARCE, buscando promover encaminhamentos que possam contribuir com a melhoria da qualidade de vida dos artesãos cearenses.

Além destes, estiveram presentes especialistas no tema, como a Presidente da Artesol – Sonia Quintela, o designer Érico Gondim e a empresária Celina Hissa – Catarina Mina, além de artesãos como Evandira Moreira (Renda Filé), Gilmar Martins (Tecelagem) e Andrea Guedes (Crochê). Segundo Ethel Whitehurst, curadora do evento, a programação foi pensada de modo a contemplar diferentes olhares para o artesanato do Estado.

Sobre o Terrartesã

Na busca pelo fortalecimento e sustentabilidade econômica dos grupos e cooperativas de artesãs e artesãos, o Terrartesã surgiu durante a pandemia da Covid-19, uma vez que muitos artesãos ficaram sem produzir e principalmente sem ter como comercializar seus produtos, gerando um cenário de vulnerabilidade social e econômica. Diante desse contexto, o Grupo Mulheres do Brasil – Núcleo Fortaleza criou o projeto Terrartesã, uma plataforma de apoio aos artesãos e comercialização do artesanato cearense.

A equipe do projeto percorreu o interior do Ceará e incentivou grupos e artesãos a retomarem as atividades produtivas, com a proposta de contribuir para a comercialização dos seus produtos através de um e-commerce, um site dedicado às vendas dos materiais em todo o Brasil associado à um trabalho intensivo nas redes sociais para divulgação e venda dos produtos. O projeto Terrartesã buscou ainda beneficiar grupos de rendeiras com o microcrédito do Fundo Social Dona de Mim, através do Grupo Mulheres do Brasil, para compra de materiais como estímulo para a retomada da produção.

Sobre o Grupo Mulheres do Brasil

O Grupo Mulheres do Brasil foi criado em 2013 por 40 mulheres de diferentes segmentos com o intuito de engajar a sociedade civil na conquista de melhorias para o país. Composto por mais de 92 mil mulheres oriundas de vários segmentos, organizadas em núcleos espalhados em todo o Brasil e em alguns países do mundo, o grupo tem como propósito construir um Brasil melhor a partir do protagonismo feminino. Trabalha ativamente em conjunto com outras organizações e engajando suas integrantes para discutir, propor e realizar ações em temas ligados à educação, empreendedorismo, igualdade de gênero e racial, combate à violência contra a mulher e outros temas de interesse social. Tem uma agenda propositiva com planos de ação para pensar e agir focando no todo, por um país melhor. O grupo é suprapartidário, levanta a bandeira de uma causa: o Brasil.

Recommended Posts